MORIHEI UESHIBA (O’Sensei)

O fundador do Aikido, Morihei Ueshiba, também conhecido por O’Sensei, nasceu na cidade de Tanabe (Japão) no dia 14 de Dezembro de 1883. Ele era o quarto filho (único filho homem) de Yoroku e Yuki Ueshiba. De seu pai, Morihei herdou a determinação de um samurai e o interesse por assuntos públicos, e de sua mãe herdou um intenso interesse por religião, poesias e artes.

Morihei Ueshiba aos 85 anos

Morihei Ueshiba aos 85 anos

Morihei Ueshiba era uma criança sensível e estava frequentemente doente. Aos seis anos de idade, começou a estudar em um templo budista local, onde aprendeu a entoar os mantras sagrados e até cogitou a idé de se tornar um monge budista. Morihei passou grande parte de sua infância em meio a natureza.

Seu pai, Yoroku Ueshiba, contava histórias do bisavô de Morihei, Kichiemon, que era conhecido por ter sido um dos samurais mais fortes de sua época. Yoroku também encorajou o filho a desenvolver-se através da prática do sumô e da natação. Morihei treinava seu corpo intensamente e finalmente se convenceu da necessidade de ser forte após seu pai ter sido atacado e surrado por uma gangue contratada por políticos rivais. Todas as vezes que havia um campeonato de sumô, Morihei era o primeiro a se inscrever e, frequentemente saía campeão. Ele tinha se decidido a se tornar tão forte para derrotar qualquer pessoa que o desafiasse.

Muito bom em matemática, empregou-se aos 17 anos de idade como assessor de um escritório de coleta de impostos, sendo considerado um ótimo trabalhador, mas durante um período foi obrigado a administrar um novo imposto dirigido aos agricultores e pescadores. Convencido que os impostos eram injustos, ele indignou-se e veio a se tornar líder do movimento de protesto.

Em 1902, Morihei mudou-se para Tóquio, onde abriu um a pequena loja de suprimentos. Durante sua estadia em Tóquio, descobriu que tinha afinidades com as artes marciais treinando Jujutsu no Dojo Kito-ryu e Shikage da espada Japonesa. Nesse período teve uma grave crise de béri-béri que o fez deixar tudo para os empregados e voltar à Tanabe. Logo após o retorno à Tanabe, Morihei casou-se com Hatsu Itogawa que era uma parente distante.

Morihei Ueshiba aos 37 anos

Morihei Ueshiba aos 37 anos

A relação entre a Rússia e o Japão estava muito ruim, então o jovem Morihei Ueshiba decidiu alistar-se no exército para servir ao seu país. Infelizmente, Morihei media apenas 1,50m e estava um pouco abaixo da altura exigida. Extremamente determinado, ele ficou treinando sozinho durante vários meses nas montanhas, e até pendurava-se em árvores para aumentar seu tamanho. Alistou-se novamente como reservista e depois foi convocado. A incansável energia do jovem chamou a atenção dos superiores e ele foi promovido a sargento. No início, não foi enviado para a linha de batalha, pois seus conhecimentos eram valiosos e era usado para treinar os soldados.

Após a conclusão da guerra Russo-Japonesa em 1905, muitos superiores de Morihei recomendaram à ele uma carreira militar que foi rejeitada por ele. Morihei retornou à Tanabe como civil em 1906. Durante esses 4 anos no exército, Morihei melhorou sua condição física e conseguiu seu primeiro Menkyo (licença para dar aulas de artes marciais).

Retornado para o âmbito familiar Morihei dedicou-se a agricultura, mas continuava inquieto. Em 1911, ocorreu o nascimento de sua primeira filha, Matsuko, que fez com que sua disposição melhorasse. Nesta fase, o governo japonês recrutou voluntários para colonizarem Hokkaido. Morihei organizou um grupo de agricultores e pescadores para realizar este grande desafio.

Em 1915, Morihei Ueshiba conheceu Sokaku Takeda na ilha de Hokkaido. Embora muito forte e ágil, Morihei não era páreo para o mestre do Daito-ryu. Imediatamente Morihei increveu-se por um mês para treinar, e assim o acompanhou por 4 anos. Em 1917, nasceu Takemori, o segundo filho de Morihei.

Em 1919, chegaram notícias que seu pai estava muito doente com seus 76 anos de idade. No caminho de volta para casa em Hokkaido, Ueshiba tomou conhecimento dos poderes curativos de um extraordinário líder religioso da Omoto-kyo chamado Onisaburo Deguchi. Morihei decidiu então parar em Ayabe, centro da nova religião Omoto para orar pelo seu pai.

Morihei Ueshiba aos 51 anos

Morihei Ueshiba aos 51 anos

Quando Morihei finalmente chegou à Tanabe, ficou sabendo que seu pai já havia falecido. Contaram-lhe que suas últimas palavras para Morihei foram: “Não deixe nada prendê-lo – viva do jeito que quiser.”

Na primavera de 1920, Morihei, sua esposa e três filhos mudaram-se para Ayabe. A abertura de seu dojo em 1920 foi a única alegria de Morihei no primeiro ano em Ayabe, pois neste mesmo ano seus dois filhos, Takemori (com 3 anos) e Kuniharu (6 meses), faleceram após uma doença num intervalo de 3 semanas. Em 1921, nasce Kisshomaru Ueshiba.

Em Fevereiro de 1924, Deguchi, Morihei e um pequeno grupo de seguidores da Omoto-kyo partiram para Mongólia com a finalidade de difundir a religião. Acabaram perseguidos e capturados pelos chineses. Eles foram soltos sob custódia do consul japonês, retornando ao Japão no final de Julho do mesmo ano.

Em 1925, Morihei foi transformado por uma visão divina. Ele havia sido desafiado por um oficial da marinha para um combate de Kendo. Morihei aceitou, poré foi desarmado. O oficial ficou naturalmente ofendido por esta atitude e atacou Morihei furiosamente. Morihei escapou facilmente de todos os ataques do oficial que ficou exausto e concedeu a vitória à Morihei. Após o combate, Morihei saiu para o jardim onde sentiu uma forte vibração e sentiu-se banhado por raios de pura luz dourada. Neste momento, ele se imaginou assumindo a forma de um ser dourado e diz ter compreendido a natureza da Criação: “O caminho do guerreiro é maninfestar Amor divino, um espírito que envolva e nutra todas as coisas.” Lágrimas de gratidão escorreram-lhe pelo rosto.

Em 1930, Morihei teve um encontro com Jigoro Kano, fundador do Judô. Kano ficou admirado com a habilidade de Morihei e pediu que aceitasse dois de seus alunos mais graduados como alunos.

Morihei Ueshiba aos 55 anos

Morihei Ueshiba aos 55 anos

Em 1931, Ueshiba abriu o Kobukan dojo no subúrbio de Tóquio, onde ensinava Aiki Budo. Nesta época o Kobukan ficou conhecido como Dojo do Inferno devidos aos intensivos treinos. Muitos lutadores também apareciam para desafiar Ueshiba e saiam impressionados com sua destreza.

Em 1937, o Japão entra em guerra contra a China e em 1941 contra os Estados Unidos. O seu descontentamento com a guerra e a destrição abalou Morihei emocionalmente e fisicamente, fazendo-o resignar todas as suas posições, e deixando as operações do Kobukan Dojo para seu filho Kisshomaru. Morihei então se muda para uma pequena fazenda em Iwama no outono de 1942.

Em Iwama, Morihei construi o santuário Aiki com um dojo aberto à natureza. Foi nesse ano que ele formalmente designou a sua arte de AIKIDO, o Caminho da Harmonia.

Nos seus últimos anos de vida, Morihei conduziu poucas aulas diretamente, ensinando mais através do exemplo e inspiração. Quando ele era o responsável pelo treino, enfatizava mais o lado espiritual do Aikido.

Morihei Ueshiba (1883-1969)

Morihei Ueshiba (1883-1969)

Em 1961, Morihei fez sua primeira e única visita aos Estados Unidos, ficando 40 dias no Havaí.

Em Março de 1968, Morihei passou mal em Iwama. Sabendo que o fim estava próximo, Morihei levantou-se na manhã de 10 de Março e conduziu seu último treino. Ele foi então hospitalizado com o diagnóstico de câncer de fígado. Morihei se recusou ser operado e pediu para ser levado para casa.

Morihei faleceu pacificamente na manhã de 26 de Abril de 1969. Uma de suas frases finais foi: “Aikido é para o mundo inteiro.”